Thumbnail
2017-06-29 12:20:10

O que acontece com o seguro se o carro roubado for recuperado?

Seguradora tem prazo para pagar a indenização; mas e se o carro roubado for recuperado antes?

Os seguros de veículos com cobertura para roubo e furto qualificado levam algum tempo para pagar a indenização por esse tipo de sinistro. Mas e se o carro roubado for recuperado antes do pagamento da indenização, o que acontece?

Ao ter um veículo roubado ou furtado, o segurado deve fazer o Boletim de Ocorrência e avisar à seguradora imediatamente. Ela solicitará uma série de documentos ao segurado e deverá pagar a indenização em, no máximo, 30 dias corridos a partir da entrega da documentação completa.

Se, após a entrega da documentação, a seguradora constatar que ficou faltando alguma coisa, a contagem dos 30 dias é interrompida, sendo reiniciada do mesmo ponto após a entrega da documentação que faltava.

Caso o veículo seja localizado nesse meio tempo, o segurado deverá recuperá-lo e avisar à seguradora. Nesse caso, o processo de pagamento é interrompido e o segurado não recebe a indenização integral, devida em casos de roubo e furto sem localização do veículo.

A regra básica é a seguinte: se o veículo roubado ou furtado for recuperado antes da transferência de propriedade para a seguradora, o segurado não terá direito à indenização integral por roubo e furto.

Caso o veículo seja recuperado depois da transferência de propriedade e antes do pagamento, o direito à indenização integral por roubo e furto se mantém.

Quando o veículo não é recuperado ou só é recuperado após a transferência da propriedade para a seguradora, o segurado recebe a indenização integral e a apólice de seguro é cancelada.

Veículo recuperado com danos ou perda total

O segurado que perde o direito à indenização integral por roubo e furto por conta da recuperação do veículo ainda assim manterá outras eventuais coberturas.

Se o seguro auto ou moto tiver cobertura compreensiva, eventuais danos provocados pelos ladrões serão cobertos.

Após a recuperação do veículo, será apurada a extensão dos danos. Caso o veículo tenha sofrido apenas perda parcial, a seguradora cobrirá o conserto e as regras de franquia se aplicam normalmente. Nesse caso, a apólice continua cobrindo o veículo até o fim do prazo de vigência.

Já se o veículo tiver sofrido perda total, o segurado terá direito à indenização integral. Nesse caso, a propriedade do veículo será transferida à seguradora e ocorre a liquidação da apólice, isto é, ela deixa de existir.

A perda total acontece quando o custo dos reparos do veículo em função de um único sinistro ultrapassa o percentual do valor do veículo estipulado na apólice.

Em geral, as seguradoras seguem o percentual máximo estabelecido pela Susep, entidade reguladora do mercado de seguros, que é de 75% do valor do veículo. Ou seja, se o custo dos reparos corresponder a 80% do valor do veículo, por exemplo, considera-se perda total.

Mas atenção: se o seguro tiver cobertura apenas para roubo e furto, eventuais danos decorrentes desses sinistros podem não estar cobertos. Algumas apólices de roubo e furto limitam-se a cobrir apenas o roubo ou furto em si, quando não há recuperação do veículo.

Outras cobrem perda total e parcial quando esta é decorrente de um roubo ou furto e o veículo é recuperado. Portanto, é preciso ficar de olho nesses detalhes antes de contratar um seguro que cubra apenas roubo e furto do veículo.

Procurando seguro auto? Peça sua cotação on-line aqui na Genial Seguros!

avatar autor

Julia Wiltgen

Jornalista responsável pelos artigos da Genial Seguros até 24/11/2017.

Cote seu seguro