Thumbnail
2016-06-15 10:02:12

Os 4 tipos de seguro que todo mundo deveria fazer

Os seguros mais importantes e com melhor custo-benefício que você deveria ter

Fazer seguros é um dos pilares do bom planejamento financeiro, mas costuma ser bastante negligenciado.

Afinal, é difícil enxergar os benefícios: seguros protegem contra eventos que não aconteceram, não sabemos se vão acontecer e, para falar a verdade, esperamos que não aconteçam.

É diferente, por exemplo, de um investimento, cuja remuneração acompanhamos e o qual esperamos usufruir no futuro para fazer as coisas de que gostamos.

Além disso, o mercado oferece uma gama enorme de produtos securitários, muitos dos quais podem realmente não ser adequados a determinados perfis, revelando-se inúteis para algumas pessoas.

Quais são os seguros mais importantes, até mesmo indispensáveis? Quais não deveriam faltar mesmo no caso de quem tem um orçamento apertado?

1. Seguro de vida

O seguro de vida é o único que protege as famílias de um infortúnio certo: a morte dos seus provedores. Mas além da indenização por morte, que pode ser acidental ou natural, há outras coberturas que podem ser usufruídas ainda em vida pelo segurado.

É o caso da cobertura por invalidez, temporária ou permanente, que prejudica a capacidade do segurado de gerar renda, e das coberturas em caso de descoberta de doenças graves ou terminais.

Em outras palavras, o seguro de vida não assegura apenas o bem-estar da família do segurado na sua falta, mas também o próprio segurado caso ele tenha perda ou redução de renda por motivos de saúde.

2. Seguro de carro

O seguro de carro tem benefícios mais palpáveis, uma vez que os veículos estão expostos a grandes riscos e não é incomum precisar acioná-lo.

Por ser um dos maiores patrimônios das famílias, os carros devem estar protegidos por seguros adequados. Afinal, roubos e acidentes podem levar a perdas da ordem de dezenas de milhares de reais, resultando em grande impacto financeiro.

Isso sem falar na possibilidade de o segurado ser o causador de um acidente com mortos, feridos e outros veículos danificados que não o seu.

3. Seguro residencial

É fundamental ter uma apólice que proteja sua casa pelo menos contra acidentes, como incêndio e outros danos causados por fogo. É possível até mesmo proteger seus bens mais valiosos contra roubo.

A casa própria é o principal patrimônio da maioria das pessoas, e perdê-la em um desastre pode causar danos financeiros muito difíceis de reverter. O custo do seguro em relação ao valor do imóvel é tão baixo que não vale correr o risco de dispensá-lo.

Quem usa o imóvel próprio para locação também deve fazer seguro, de forma a proteger esta fonte geradora de renda.

4. Seguro viagem

O seguro viagem é outro produto de excelente custo-benefício que não vale a pena dispensar, principalmente em caso de viagens ao exterior.

Além das coberturas por morte e invalidez na viagem, este seguro também evita que o segurado gaste verdadeiras fortunas em consultas médicas e odontológicas ou atendimentos hospitalares, em caso de doenças ou acidentes durante a viagem.

Há outras coberturas que oferecem auxílio e ajuda de custo em situações difíceis, como perda de documentos, despesas judiciais, extravio de bagagem ou necessidade de antecipar o retorno para casa.

Para entrar em alguns países — como a maior parte das nações europeias — o seguro chega a ser obrigatório.

Procurando um Seguro de Vida? Faça uma simulação agora mesmo.

avatar autor

Julia Wiltgen

Jornalista responsável pelos artigos da Genial Seguros até 24/11/2017.

Cote seu seguro